Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I.P.
02
Valorização de trigo duro de qualidade superior para o fabrico de massas alimentícias





Designação do projeto | Valorização de trigo duro de qualidade superior para o fabrico de massas alimentícias 

Código do projeto | PDR2020-101-031418
Objetivo principal | Reforçar a competitividade do sector agro-alimentar e florestal.
Região de intervenção | Alentejo
Entidade beneficiária | Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I.P. (INIAV) – Entidade Líder
Entidades Parceiras 
| Instituto Politécnico de Beja; ESPIRALPIXEL LDA; Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa; Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio; CEREALIS – Produtos Alimentares SA; ANPOC – Associação Nacional de Produtores de Cereais; Sociedade Agrícola da Herdade de Torre de Curvo LDA; CERSUL – Agrupamento de Produtores de Cereais do Sul SA.
Data da aprovação | 2018-01-10
Data de início | 2017-09-01
Data de conclusão | 2021-12-31
Custo total elegível | 148 554,95 €
Apoio financeiro da União Europeia | FEADER (Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural) –
89 300,11 €
Apoio financeiro público nacional/regional | 22 116,12 €

Objetivos Específicos: 
  1. elecionar variedades de trigo duro com elevado potencial genético, reconhecidas pela indústria;
  2. Identificar as melhores opções agronómicas visando a otimização das produções e do valor de utilização das sementes, mas potenciando de forma sustentada os fatores de produção;
  3. Testar os fatores que contribuem para o teor elevado em cinzas nos trigos duros produzidos em Portugal; 
  4. Divulgar e promover junto dos agricultores a aposta nas soluções mais adequados para a obtenção de um produto final de excelente qualidade tecnológica.

Objetivo a médio prazo: 

Reforçar a fileira produtiva organizando a concentração da oferta num menor número de variedades - lotes de grão mais homogéneos de elevada qualidade; Aumentar áreas e produções; Valorizar o trigo duro nacional para obtenção de sêmolas de qualidade. 

Atividades:

Fase 0 - Coordenação do GO;
Fase 1 - Instalação de ensaios de campo em 2 locais (Elvas e Beja) e sua avaliação;
Fase 2 - Caracterização da qualidade tecnológica;
Fase 3 - Seleção de variedades e itinerário técnico;
Fase 4 - Scale-up das melhores variedades e itinerário técnico nos campos dos agricultores;
Fase 5 - Gestão da rega nos campos dos agricultores;
Fase 6 – Organização de ações de divulgação e demonstração de resultados. 

Resultados esperados:

1. Identificação dos fatores que contribuem para o teor elevado em cinzas nos trigos duros produzidos em Portugal;
2. Divulgação de variedades de trigo duro com elevado potencial genético de qualidade, reconhecidas pela indústria;
3. Divulgação de itinerários técnicos adequados que potenciem a produção de trigo duro de elevada qualidade, com particular atenção para o teor de cinzas;        






Governo de Portugal
w3c
acessibilidade
seara.com