Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I.P.
Facebook
06
CistusRumen



Designação do projeto Utilização sustentável da esteva (Cistus ladanifer L.) em pequenos ruminantes – Aumento da competitividade e redução do impacto ambiental - CistusRumen
Código do projeto | ALT20-03-0145-FEDER-000023
Objetivo principal Reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação.
Região de intervenção | Alentejo
Entidade beneficiária | Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I.P.
Data da aprovação | 2016-05-31
Data de início | 2016-10-01
Data de conclusão | 2018-09-30
Custo total elegível | 697 581,40€ | Custo elegível INIAV 222.769,19
Apoio financeiro da União Europeia | FEDER - 592 944,19
Apoio financeiro público nacional/regional | 51 138.54 €
Apoio financeiro privado| 53 498.67€



Objetivos, atividades e resultados esperados

É objetivo deste projeto estabelecer bases científicas e tecnológicas que suportem a implementação de estratégias nutricionais para pequenos ruminantes que contribuam para:

i) Controlar, aproveitar e valorizar a esteva (Cistus ladanifer L.), um recurso endógeno extremamente abundante no Alentejo;
ii) Aumentar a competitividade do setor de produção de ovinos e caprinos no Alentejo, pela redução dos custos com a alimentação, melhoria do estado de saúde e bem-estar dos animais e incremento da qualidade dos produtos;
iii) reduzir o impacto ambiental destes sistemas de produção animal.

Propomo-nos a realizar um conjunto de estudos focados na utilização de Esteva ou de seus constituintes (taninos condensados) na alimentação de pequenos ruminantes, explorando os seus benefícios a vários níveis:

i) como complemento das dietas em substituição de outros alimentos forrageiros de maior custo;
ii) como ferramenta para melhorar o valor nutricional da fração lipídica dos produtos dos ruminantes;
iii) como forma de melhorar o estado antioxidante dos animais e a estabilidade oxidativa dos produtos em substituição da utilização de antioxidantes sintéticos;
iv) como forma de controlar os níveis de parasitismo interno;
v) como forma de melhorar o valor nutricional das dietas, por melhoria da utilização digestiva da proteína alimentar e proteção da proteína em silagens;
vi) como forma de reduzir o impacto ambiental associado à produção de ruminantes, pela redução da emissão de azoto urinário e de metano









Governo de Portugal
w3c
acessibilidade
seara.com